NOTÍCIAS

INSTRUÇÃO OU MEDIAÇÃO? O QUE ESTUDA EM DIDÁTICA?
06/04/2018

INSTRUÇÃO OU MEDIAÇÃO? O QUE ESTUDA EM DIDÁTICA?

O sonho de todo bom professor é dar uma aula atrativa, conquistar a atenção e o interesse dos alunos, ou sejam ter uma boa Didática.

No entanto é muito comum ouvir nos meios educacionais, afirmações do tipo: aquele professor não tem didática...; ele tem conhecimento, mas não sabe comunicar; o professor conhece o assunto da sua matéria, mas não sabe transmitir.

Sabemos que ensinar ...mediar o conhecimento não é uma tarefa fácil, é muito complexo e compreender as relações que se estabelece entre os elementos desta ação: professor, aluno, matéria a ser ensinada e as conexões que se estabelece entre eles é o estudo da Didática.

Didática é a ciência que estuda os saberes e instrumentos necessários para que o professor tenha uma boa prática. Acima de tudo, a Didática deve ser entendida hoje em dia como a construção de conhecimentos que possibilitem a mediação entre o que é preciso ensinar e o que é necessário aprender e entre as atuais formas de se relacionar com o saber.

Nessa linha de raciocínio chegamos a uma discussão muito atual entre buscar o equilíbrio nesta relação, principalmente entendendo a mediação como a tarefa de ajudar o aluno a pensar. A aprendizagem acontecerá nesta relação do aluno com o mundo promovida pela ação planejada do professor quando questiona, busca soluções, instiga o espírito de busca pelo conhecimento, pela criatividade, pela construção da autonomia.

Perrenoud (2000, p. 14), nos aponta como procedimentos da atuação do professor 10 famílias de competências que influenciam a formação contínua do educador:

1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem.

2. Administrar a progressão das aprendizagens.

3. Conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação.

4. Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho.

5. Trabalhar em equipe.

6. Participar da administração da escola.

7. Informar e envolver os pais.

8. Utilizar novas tecnologias.

9. Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão.

10. Administrar sua própria formação contínua.

 

Rubem Alves, poeticamente também nos dá algumas dicas desta relação teoria e prática na ação pedagógica quando diz:

- Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música.

Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes ? Rubem Alves

Não há uma receita pronta, porém, sabemos e reconhecemos que a Didática como disciplina no curso de Pedagogia tem esta preocupação, a de desenvolver a capacidade a crítica dos professores em formação, para que possam analisar de forma clara e objetiva a realidade do ensino em nosso país e pensar em instrumentos e intervenções que possibilitem ao educando construir seu próprio saber.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

DESTAQUES